Natal, época de confraternizações

Por Carmen Peixoto*

Estamos em pleno período de Natal, época de confraternizações, alegria e magia. Por mais simples que sejam as festinhas de fim de ano, elas precisam acontecer, porque é algo que aproxima familiares, amigos e companheiros de trabalho. Mas, apesar de ser um momento de descontração e informalidade, cuidado para não entrar numa saia justa e servir de comentários no dia seguinte.

Para não errar na hora do Amigo Secreto

Objetivo das Confraternizações

Seja um happy hour, um coquetel ou festinhas com amigos para comemorar o Natal ou a virada do Ano Novo com amigos, familiares ou colegas de trabalho, sua conduta deve ser pautada pelo equilíbrio e discrição ao chegar , durante ou no término do evento. Importante fazer com que todos se sintam acolhidos sem constrangimentos. Caso tenha sido convidado para a mesma festa um desafeto seu, então use sua inteligência emocional para que nenhum atrito ocorra.

Providências para organizar a festinha

Quando amigos ou familiares dizem que dessa vez a festinha do Natal será na sua casa, não se assuste, mas programe-se! Planeje tudo: a lista de convidados, o espaço que tem à sua disposição, o plano B para os imprevistos, tais como se bebidas faltarem, se o som falhar. Esteja antenado e prevenido, para que as pessoas saiam do evento com o gosto de quero mais. |mesmo que os imprevistos ocorram, como anfitrião procure passar para as pessoas tranquilidade e descontração.

Convites

Primeiro faça a lista dos convidados e passe agora a ação : faça os convites pelo telefone, whatsapp ou mande entregá-los nos endereços de cada um. Espere 48 horas para o retorno, caso isso não ocorra, tome a iniciativa de perguntar quem estará presente. Quanto ao buffet, sempre faça um cálculo de 10 por cento a mais do que a quantidade planejada.Na decoração os motivos natalinos ainda são a melhor escolha para a época, postos em pontos estratégicos, de acordo com os móveis, sem excessos, para que as pessoas possam movimentar-se !

Formato do evento

Se houver muitos convidados, o melhor é organizar um jantar à americana, onde as pessoas servem-se, ficando a cargo dos garçons as bebidas e os petiscos. Indispensáveis são os pontos de apoio, como aquelas mesinhas altas, utilizadas em barzinho, para que as pessoas ponham os pratos e os copos na hora de servir-se. No cardápio incluir opções para os diversos paladares regado a vinho. Antes do jantar ou do coquetel podem ser servidos sucos, agua, refrigerantes ou bebidas, acompanhadas de canapés. E atenção, não esqueça de colocar em vários cantos, lixeiras para colocar guardanapos e outros objetos.

Como fazer da festinha um sucesso

Hoje o sucesso é saber receber e deixar os convidados à vontade, alguns podem até ajudá-lo no que for necessário. A capacidade de criar um clima de cordialidade, de apresentar uns aos outros, de evitar assuntos que estimulem debates acalorados, é usar a inteligência social. O toque de alegria será, sem dúvida, a escolha de um bom repertório de músicas, sem deixar que a altura do som interfira nas conversas, na alegria de se reverem e conversarem.

Excessos que prejudicam

Se alguém exagerou na bebida e começa a dar gargalhadas, contar piadas inadequadas, enfim tornar-se inconveniente, o melhor é chamar a pessoa mais próxima dele para com jeito afastá-lo do ambiente ou até mandar levá-lo para casa.

Cortesia para os convidados

Se você foi convidado para a festa, é uma gentileza enviar um arranjo de flores para a anfitriã com seus cumprimentos ou entregar na chegada uma bela caixinha de chocolates. Mas se o anfitrião é seu grande amigo, então leva uma garrafa de vinho pois será muito bem-vindo. Quem recebe o arranjo de flores deve deixá-lo à vista, a um canto do espaço, e o vinho deve ser servido na ocasião para demonstrar atenção.

DICAS 

» O local precisa acomodar bem as pessoas então não exceda no número de convidados

» O anfitrião deve dispensar atenção igual para todos os convidados

» Certifique-se do estilo da festa e use trajes de acordo

» Ao chegar cumprimente os anfitriões, mas se sair à francesa não há problema.

*Carmen Peixoto é jornalista e instrutora de etiqueta profissional e social

Artigo anterior Acontece agora o treinamento de reciclagem do estacionamento
Próximo artigo As Maravilhosas Invenções do Noel recebeu os funcionários e família

Deixe uma resposta

Fechar